quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Menina má

Ela de repente, em um impulso, saiu de casa e nunca mais voltou. O nome dela: Gabriela. Consumiu cocaína e se prostituiu à beira de uma avenida. Hoje em dia, seu nome ainda é Gabriela: Gabriela Cravo e Canela!

Seus olhos, negros e frios, entram em exorbitante contraste com os lábios manchados de batom, cor vinho. Quem a vê sabe que é má e suja. Quem a conhece descobre uma mágoa profunda. Uma dor, demasiada! E uma juventude, inacabada.

Gabriela não fugiu de casa por maldade ou rebeldia. Não se prostituiu por ser uma promíscua. Ela foi vítima. O culpado: A vida!

Espancada sem dó, por um padrasto enfurecido, não via saída. Ou a rua, ou sua vida perdida.

Não é falta de caráter. Às vezes, a vida nos atropela, e salvem-se quem puder! Pois, a maldade está em quem a vê, e não em quem a sofre. E nesta sociedade hipócrita, não é o caráter que nos faz e nos mantém. São as atitudes, e o histórico de vida que cada um tem.







Observação: A história é fictícia, mas não deixa de existir casos parecidos ou iguais ao da minha Gabriela. Prostituição infantil é crime! Denuncie!!!!!!!


.

Um comentário:

Bárbara P. :D disse...

nossa amiga.. voce escreve muuuito !!


-uma grande escritra que está por vir aiii ! :D
(L)